Vale a pena optar pela tarifa branca de energia?

por Rosa Falcão

 

 

Depois das bandeiras verde, amarela e vermelha, chegou a vez da tarifa branca de energia. Como toda novidade, muita gente ainda não sabe como funciona. Vamos lá. Para começo de conversa, a tarifa branca é opcional, e só vale para os consumidores cujo consumo de energia elétrica é superior a 500 quilowatts/mês. A partir de 2020, essa modalidade tarifária será oferecida para todos. Com a tarifa branca, o preço da energia vai variar de acordo com a hora e o dia da semana. Por exemplo: no começo da noite, quando o consumo é maior, a energia é mais cara. No horário do almoço, quando o consumo cai, é mais barata.

Como funciona a tarifa branca
Para quem optar pela tarifa branca, o preço da energia vai mudar ao longo do dia. A tarifa será diferente para os dias úteis e para os fins de semana. Nos dias úteis (segunda à sexta) haverá três faixas de preço: horário de pico, intermediário e fora de pico. Nos finais de semana e feriados nacionais valerá apenas o preço do horário fora de pico.

Como identificar o horário de pico e intermediário
Aí começa a complicar, porque o horário de pico e o horário intermediário variam de região para região, de acordo com o período em que os consumidores de determinado local usam mais a energia. As distribuidoras de energia de cada região deverão informar seus consumidores quais serão os horários de pico, intermediário e fora de pico.

Continua após Publicidade

Energia mais cara e mais barata
Fique atento. O horário de pico tem a energia mais cara de todas porque é o horário de maior consumo. No horário intermediário o preço da energia fica mais barato que no horário de pico. Será aplicado uma hora antes e uma hora depois do horário de pico. Já o horário fora de pico vale para as demais horas e terá a energia mais barata de todas.

Como fica em Pernambuco
De acordo com informações da Celpe, em Pernambuco, nos dias úteis, o valor da tarifa branca vai variar nos seguintes horários: o horário de pico vai do intervalo entre 17h30 e 20h29, o horário intermediário 1 vai das 16h30 às 17h29 e o intermediário 2 vai de 20h30 às 21h29. Nos demais horários, finais de semana e feriados nacionais será considerado fora de pico.

Vale a pena optar pela tarifa branca
O Instituto de Defesa do Consumidor (Idec) alerta que a vantagem da tarifa branca vai depender dos hábitos de consumo. Por exemplo: se uma família utiliza mais energia pela manhã e à tarde, a tarifa branca pode ser uma boa alternativa, pois não coincide com o horário de pico. É importante saber gerenciar o consumo de energia antes de optar pelo novo modelo tarifário. Segundo o Idec, a conta de luz poderá subir até 83% se ficar fora do controle.

Consumidor deve fazer a opção
A adesão à tarifa branca não é automática. O consumidor terá que fazer opção junto à distribuidora de energia local. Em Pernambuco, o consumidor deve se dirigir a uma das lojas da Celpe para aderir à nova modalidade tarifária. Após analisar o pedido, a concessionária terá o prazo de 30 dias para fazer a troca do medidor de energia do cliente. Não tem custos para o consumidor e caso ele deseje retornar ao sistema convencional, a concessionária deverá providenciar a mudança em até 30 dias.

Como ficam as bandeiras tarifárias
A tarifa branca não tem relação com as bandeiras tarifárias (verde, amarela e vermelha patamares 1 ou 2). Elas indicam se haverá ou não acréscimo no valor da energia a ser repassada ao consumidor final, em função das condições de geração de eletricidade no país. A definição da bandeira tarifária do mês seguinte é publicada pela Aneel ao final de cada mês. Até março a bandeira tarifária será verde, sem cobrança extra.

 

 

Compartilhar! Facebook LinkedIn Google+ Twitter

Deixe seu comentário O que você achou?

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algum conteúdo impróprio, denuncie.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Continua após Publicidade