Trabalho por projeto é tendência no mercado

por Cláudia Santos

Até 2022 o trabalhador temporário terá mais oportunidades no mercado de trabalho. Crédito: bit.ly/2QrIwLrbit.ly/

Trabalho por projeto, como freelancer, empreiteiro ou com contrato temporário, é uma tendência em alta no mercado de trabalho. Diretores de RH apontam, em pesquisa da consultoria Robert Half, que até 2020, o profissional de projeto será importante tanto quanto os recrutados para vagas permanentes. Para as empresas, as vantagens de contratar por projeto são o acesso rápido a bons profissionais e a novas ideias, troca de conhecimentos e flexibilidade.

As contratações temporárias não são apenas para a área operacional ou em épocas de maior demanda, como Natal e Páscoa, para industria e varejo. Na verdade, esses talentos estão trabalhando para áreas estratégicas das empresas. Segundo a Robert Half, os profissionais de projetos em geral carregam um bom currículo. Podem ser consultores ou têm boa experiência em empresas dos setor.

Continua após Publicidade

Quem trabalha por projeto aponta algumas vantagens. Ainda segundo a pesquisa, 86% dos profissionais acreditam que a experiência do trabalho por projeto é positiva para o currículo. Networking é outro beneficio para 63% desses profissionais. Outros pontos positivos que podem ser acrescentados são a flexibilidade, autonomia e experiência em novas áreas. A opção em uma carreira orientada por projeto cria também a possibilidade de ampliar a experiência em novos segmentos ou em uma função. Também aumenta a empregabilidade.

O mercado de trabalho já percebeu esse potencial. Estudo do Fórum Econômico Mundial de 2018 sobre o futuro do emprego até 2022, na América Latina, aponta essa tendência. Segundo o relatório, as empresas planejam ampliar a contratação de pessoas que realizam trabalho especializado em tarefas. O documento revela que uma das estratégias dos empregadores para lidar com os desafios do novo mundo do trabalho, extremamente afetado pela automação, é alocar o trabalho par empreiteiros especializados, freelancers e trabalhadores temporários.

Ainda que em menor número do que as contratações tradicionais, o estudo aponta que há um número significativo de empresas com esse propósito. Para quem gosta de termos em inglês, essa tendência de trabalho flexível pode ser chamada de gig economy. Favorecida pelo avanço tecnológico já é realidade na Europa e é cada vez mais forte nos Estados Unidos. Lá, a gig economy responde por mais de 30% do mercado de trabalho, e deve ultrapassar os 40% em 2020, segundo pesquisa divulgada no ano passado.

A tecnologia que ajudou a criar essa nova relação de trabalho, também dá uma mãozinha na procura por projetos. No Brasil, há várias plataformas especializadas em fazer a ponte entre empresas e profissionais de projetos. Confira>

99 freelas: é uma plataforam que conecta profissionais a empresas ou pessoas que precisam executar projetos
Buscafreela é uma rede social onde as empresas publicam projetos para encontrar freelancers da área de designr
Freelancer plataforma com amis de 10 milhões de profissionais no mundo todo
Bicos: página de anúncios de trabalho por projeto em áreas de casa, cuidados pessoais, serviços e festas

Leia mais sobre trabalho

aqui

Compartilhar! Facebook LinkedIn Google+ Twitter

Deixe seu comentário O que você achou?

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algum conteúdo impróprio, denuncie.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Continua após Publicidade