Fraude a um clique de distância

por Leianne Correia

Crédito: encurtador.com.br/ghzU3

Que a chegada de fim de ano estimula o espírito gastador que tentamos controlar, isso a gente já sabe. Mas os cuidados devem ir além das questões de orçamento. Claro que não podemos gastar mais do que temos para não desequilibrar as contas. Porém, a cautela antes de se jogar nas compras passa pela segurança das transações online.

Pesquisa da Confederação Nacional dos Dirigentes Lojistas (CNDL) e do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) estima que, em 12 meses, 7,8 milhões de brasileiros foram vítimas de fraude no ambiente virtual, com prejuízo real no bolso do consumidor. Clonagem de cartão de crédito é o golpe sofrido mais comum na praça.

Conforme o levantamento, os dados confirmam que a maior parte das ocorrências (41%) está ligada à clonagem de cartão de crédito. Outros golpes mais comuns envolvem o uso indevido do nome para contratação de empréstimos (12%), utilização de documentos para abertura de crediário (10%) e pagamento de boletos falsos (10%). Há ainda pessoas que foram vítimas de clonagem de cartão de débito (7%), falsificação de cheque (7%) e clonagem de placa de veículo (7%).

Continua após Publicidade

Como a praticidade de lançar mão do e-commerce para evitar correria nas lojas, além de alguns casos os preços serem mais atrativos, é indiscutível, nos restam algumas precauções antes de comprar pela internet. O Procon-AL listou algumas dicas úteis. Confere aí:

– Buscar informações sobre o site, verificando se há reclamações no cadastro do Procon de seu estado ou município, e, ainda, coletando referências com amigos ou família;

– Verificar qual o endereço físico do fornecedor e se existe algum telefone ou e-mail para esclarecimento de eventuais dúvidas.

– Verificar os procedimentos para reclamação, devolução do produto, prazo para entrega, etc;

– Verificar as medidas que o site adota para garantir a privacidade e segurança dos usuários;

– Não fornecer informações pessoais desnecessárias para realização da compra;

– Guardar todos os dados da compra, como nome do site, itens adquiridos, valor pago e forma de pagamento, número de protocolo da compra ou do pedido, etc;

– Guardar em meio eletrônico ou mesmo impresso a confirmação do pedido, e-mails trocados com o fornecedor que comprovem a compra e suas condições;

– Verificar se há despesas com fretes e taxas adicionais, bem como o prazo de entrega da mercadoria ou execução do serviço;

– Identificar o endereço físico da empresa e seus dados cadastrais, como CNPJ – Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica. O consumidor pode checar os dados cadastrais da empresa acessando aqui;

– Exigir Nota Fiscal;

– Imprimir o contrato firmado ou arquivar em meio digital seguro que permita uma futura impressão.

Quer saber como blindar seu orçamento para as compras de final de ano? Clica aqui

e aproveita. Boas compras!

Compartilhar! Facebook LinkedIn Google+ Twitter

Deixe seu comentário O que você achou?

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algum conteúdo impróprio, denuncie.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Continua após Publicidade