Fique de olho nas tarifas do cartão de crédito

por Cláudia Santos

Prático na hora de fazer pagamentos à vista ou parcelado, o cartão de crédito pode ter custos que a maioria das pessoas nem percebe. Ou descobre quando confere o extrato. O Banco Central, que regulamenta o setor financeiro no país, permite que sejam cobradas cinco tipos de tarifas ao consumidor: anuidade, emissão de segunda via do cartão, saques, pagamento de contas e avaliação emergencial do limite de crédito. Essa última pega muita gente de surpresa quando chega a fatura.

Segurança tem preço
Sabe aquela mensagem que chega no celular via SMS informando da última compra? É um item de segurança, é verdade, mas pode ter custo. Ela pode ser um benefício gratuito, mas há operadoras que cobram a partir de R$ 2,50 por mensagem. Fique atento.

Facilidade embute juros
Se você ficou sem grana para quitar a conta de energia ou de água e resolveu apelar para o cartão, fique ciente de que você paga pelo serviço. Os custos variam de R$ 3,50 a R$ 24,90, dependendo do banco que opera o cartão. Saques no Brasil ou no exterior também são tarifados, a partir de R$ 5. Então, cheque se vale mesmo a pena a comodidade. Essas facilidades são consideradas como operação de crédito e, por isso, além da tarifa são cobrados juros sobre a operação a partir da data do saque ou do pagamento.

Continua após Publicidade

Limite nem sempre é emergência
A compra estourou seu limite de crédito, mas mesmo assim você insiste em pedir autorização à operadora do cartão para levar tudo para casa? Vai lhe custar a partir de R$ 15. Esse é o valor mínimo cobrado aos consumidores na chamada avaliação emergencial de crédito. Se já fez isso, confira no seu extrato. Caso não queira bancar mais custos, fique dentro do limite ou compre à vista.

Taxa de serviço a longo prazo
A cobrança por serviços pode ser uma variante da anuidade. Em alguns cartões próprios de loja ou rede de supermercados a lógica é pagar apenas nos meses em que são realizadas compras no cartão. Então faça as contas dos gastos no mês e durante o ano e veja se não é melhor pagar à vista.

Anuidade deve ser negociada
Levantamento feito pelo Econômicas, mostra que oficialmente a maioria dos bancos cobra anuidade do cliente. Em muitos casos, vale a negociação com o banco emissor, que pode ser o seu, ou com a operadora de cartão de crédito para se livrar da tarifa ou pagar menos. O importante é apelar com uma boa argumentação, que inclui seu relacionamento com o banco ou operadora – de acordo com os valores movimentados. O Nubank, lançado há alguns meses, é totalmente online e garante que não cobra tarifa de manutenção do cartão ou anuidade.

Vantagens podem compensar
Com tantas tarifas para pagar, dependendo de como usa o cartão de crédito, o consumidor ainda pode obter alguma vantagem. Existem dois tipos de cartão básico e o diferenciado. O básico é exclusivo para pagamento de compras, contas ou serviços e tem o valor de anuidade mais baixo. Já no diferenciado, podem ser incluídos programas de benefícios e recompensas. Descontos em entradas de cinema e teatro e contas de restaurantes. Muitas delas estão relacionadas à viagens, como milhas aéreas, seguro, serviços de agência de turismo, concierge entre outros. Nesse caso, vale a pena calcular se a anuidade compensa os benefícios. Se for o caso, concentre suas compras no cartão e boa viagem!

Se você quer conferir as tarifas cobradas pelas operadoras, entre no site da Associação Brasileira de Crédito, Abecs. Em caso de reclamação, procure a operadora ou registre sua queixa no Banco Central.

Veja dicas de como usar o cartão de crédito

Compartilhar! Facebook LinkedIn Google+ Twitter

Deixe seu comentário O que você achou?

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algum conteúdo impróprio, denuncie.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Continua após Publicidade