Cuidado na hora de emprestar o seu dinheiro

por Rosa Falcão

Você costuma emprestar dinheiro aos amigos e familiares? Cuidado. Muita gente cai na armadilha de ajudar as pessoas mais próximas e acaba inadimplente, em especial os idosos. Afinal é difícil negar socorro, principalmente aos mais íntimos. Para evitar problemas no futuro e até mesmo perder as amizades, não custa nada tomar alguns cuidados antes de fazer operações financeiras por conta própria.

Pesquise a vida financeira
Para começo de conversa é importante pesquisar a vida financeira da pessoa que pediu dinheiro emprestado. Saber o nível de endividamento é fundamental para identificar se o seu amigo ou familiar tem margem no orçamento para pagar o empréstimo. Lembre-se que os bancos fazem algumas exigências e estipulam garantias antes de liberar o dinheiro.

Continua após Publicidade

Contrato é fundamental
Pode parecer antipático, mas é preciso tratar o empréstimo formalmente. Uma sugestão: faça um contrato por escrito, estipulando as condições da operação, prazo de pagamento e as penalidades, como a cobrança de juros, no caso de atraso na quitação do empréstimo. Essa precaução é importante para evitar mal entendido nos casos de inadimplência.

Outras alternativas de empréstimo
Lembre-se que a amizade e o parentesco não obrigam você a emprestar dinheiro. Uma forma de ajudar o amigo ou o parente é sugerir outras alternativas de pegar a grana emprestada, seja através de empréstimo consignado, financiamento bancário, entre outros. Neste caso é importante mostrar o custo do dinheiro para a pessoa ficar consciente dos encargos que vai pagar.

Evite usar as reservas financeiras
Coloque o emocional de lado. Evite usar reservas financeiras para socorrer as pessoas que estão com a corda no pescoço. Nada justifica colocar por terra o planejamento financeiro que poderá atrapalhar a realização de um sonho ou a reserva para a aposentadoria. Use a sinceridade e não se sinta constrangido. É melhor negar agora e manter a amizade no futuro.

Riscos de emprestar o nome
Outro risco é emprestar o nome para terceiros. Esta prática é uma cilada. Pode ser através de um empréstimo bancário ou do uso do cartão de crédito. Os aposentados são as maiores vítimas deste tipo de abordagem. Em geral, são os parentes mais próximos que recorrem aos idosos. É exatamente onde mora o perigo, porque muitas vezes a pessoa está desempregada ou endividada, e não tem condições de pagar a dívida. Acaba jogando o idoso no caminho da inadimplência, e com o nome sujo na praça.

Compartilhar! Facebook LinkedIn Google+ Twitter

Deixe seu comentário O que você achou?

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algum conteúdo impróprio, denuncie.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Continua após Publicidade