Consumidor.gov faz campanha de negociação de débitos

por Cláudia Santos

Quem está com dívidas com o banco tem mais um canal de negociação até o final de maio. O consumidor.gov, do Ministério da Justiça, existe uma campanha na plataforma online de solução de consumo. A ideia é de uma força tarefa com os bancos para solucionar as dividas dos consumidores com as instituições financeiras. A negociação vale para o consumidor pessoa física ou para o microempreendedor individual (MEI) que estejam inadimplentes.

Processo online
Segundo a Secretaria Nacional do Consumidor (Senacom), do Ministério das Justiça, é fácil participar. O consumidor ou MEI deve acessa a plataforma consumidor.gov.br e se registrar. Ele recebe um login e senha. Com esse acesso, seleciona a instituição financeira cadastrada e formaliza um pedido de renegociação de débitos. O banco ou instituição financeira tem prazo de dez dias para apresentar uma resposta ou proposta. Nesse período pode haver troca de informações e envio de documentos para o banco. Se não gostou da solução, o consumidor também pode deixar isso registrado.

Dicas
É importante que o consumidor ou MEI que solicitem a renegociação façam algumas seleções já no momento de classificação do pedido ou reclamação. Quando acessar a plataforma deve selecionar o campo “Problema” e a opção “dificuldade na renegociação/parcelamento de dívida”. Já no campo “Descrição da reclamação” deve ser usado para explicar qual o problema e informar que deseja participar da ação de renegociação de débitos.

Continua após Publicidade

Muita calma nessa hora
Antes de iniciar a renegociação é bom ter um panorama da dívida e de sua condição de pagamento. Se o consumidor está disposto a reconhecer o débito e pagar mesmo parcelado deve esperar que o banco ofereça redução das taxas de juros sobre a dívida e boas condições de parcelamento. Dependendo do tipo de crédito obtido junto ao banco, os juros podem ser exorbitantes.

Cuidado com o parcelamento
Na ânsia de se livrar de uma dívida, muitas vezes o consumidor acaba entrando numa enrascada. O valor do parcela pode parecer pequeno á primeira vista, mas pode comprometer uma boa parte da renda se somado a outros débitos e compromissos. Veja até quanto você pode comprometer do seu orçamento com o pagamento do débito para não voltar a se endividar.

Livre-se da dívida
Se tiver condições de obter dinheiro suficiente, seja com a venda de um item doméstico ou um trabalho extra, para quitar o débito à vista, essa pode ser uma ótima oportunidade, já que nesse caso as condições de renegociação podem ser mais favoráveis. Outra saída é trocar uma dívida mais cara, como a do cheque especial, por uma mais barata como o crédito consignado ou empréstimo bancário. Mas fique atento às taxas de juros.

Organize as finanças
Aproveite essa oportunidade de regularizar sua dívida e mude sua postura financeira. Tente manter os gastos totais seu e da família, se for o caso, dentro do rendimento pessoal ou familiar. Não adianta querer ter um padrão de vida superior ao que seu dinheiro permite. Se está insatisfeito, tente aumentar sua renda ou adeque seu orçamento de forma que lhe dê uma folga no dinheiro e uma reserva financeira para proporcionar o que você
acha que merece, sem comprometer sua saúde mental e financeira.

O que é

O consumidor.gov.br é uma plataforma online pública com o objetivo de buscar solução alternativa de conflitos de consumo via internet.  É importante saber que a plataforma não substitui os serviços dos órgãos de defesa do consumidor, como os Procons, que mantém seus canais tradicioniais de atendimento ao consumidor,

Quer mais dicas para saldar suas dívidas? Confira aqui em nosso blog

Compartilhar! Facebook LinkedIn Google+ Twitter

Deixe seu comentário O que você achou?

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algum conteúdo impróprio, denuncie.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Continua após Publicidade