Cartão de crédito muda pagamento mínimo mas perigos continuam

por Cláudia Santos

http://bit.ly/2jiM4RW

Tem mais uma novidade nas regras de pagamento do cartão de crédito que você usa ou abusa. Depois de os bancos serem obrigados a parcelar o pagamento do cliente após um mês no rotativo, agora o valor mínimo para pagamento, hoje em 15% pode variar. O banco vai decidir o percentual que o consumidor terá que pagar. O bom mesmo é pensar bem antes de usar o cartão.

Juros abusivos
Os juros caíram em um ano, mas quem entra no rotativo sem pagar o limite mínimo arca com 397,6% ao ano. Uma cobrança abusiva. Já quem paga os 15% hoje, encara 243,5% ano ano na próxima fatura, a taxa regular. A partir de junho, os bancos só podem cobrar a taxa regular, mesmo que o cliente não pague o valor mínimo. O perigo por conta dos juros é rolar uma dívida maior. Antes de ficar fazendo contas e achar que saiu ganhando, pense em usar seu cartão de forma consciente para não se endividar.

Continua após Publicidade

À vista é sempre melhor
Comprar à vista tem lá suas vantagens. Você pode conseguir um bom desconto por pagar em espécie ou mesmo no cartão de débito. Argumente com o vendedor, chame o gerente. O Banco Central já permitiu a cobrança em valores diferentes no crédito ou à vista. Use isso a seu favor.

Quanto tenho para gastar?
Outra coisa positiva de comprar à vista é que você sabe exatamente quanto dispõe para gastar. Se não tem dinheiro na mão, cuidado para não se encantar com o parcelamento. Faça um esforço e dê uma checada como estão seus gastos. Considere o que você pode consumir e faça sobrar para poupar e investir.

Parcelamento curto
Se você chegou até aqui e ainda decidiu comprar parcelado, evite prolongar sua dívida. Não faça parcelamentos a perder de vista. E se surgir uma emergência? Seu dinheiro já estará comprometido com as prestações. E lembre-se de outros parcelamentos que você já tem antes de argumentar: Só R$ 24,90 por mês? Quando chegar, a fatura pode surpreender.

Atenção às taxas
Além da cobrança dos juros para quem não mantém os pagamentos em dia ou decide pagar o valor mínimo, os juros geralmente vêm embutidos na compra. Faça as contas para não pagar dois por um. Levar um produto que vale R$ 100 hoje e, somados os juros pagar R$ 200 no final das prestações.

Tome uma atitude radical
Se é difícil evitar os atrativos da compra facilitada pelo cartão de crédito, deixe o dinheiro de plástico em casa. Só use para fazer uma compra programada. Quem já está endividado deve ser mais radical ainda e parar de vez de usar o cartão (pode até quebrar se sua confiança for baixa) até que volte ao equilíbrio. É no cartão de crédito que está a maior parte dos devedores.

Clique aqui e veja mais dicas sobre o uso do cartão de crédito

Compartilhar! Facebook LinkedIn Google+ Twitter

Deixe seu comentário O que você achou?

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algum conteúdo impróprio, denuncie.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Continua após Publicidade