A alta do dólar também afeta o seu bolso

por Cláudia Santos

Dólar em alta pode afetar planos de quem vai viajar, mas tem impacto também para os consumidores em geral, com alta de alimentos e combustíveis. Crédito: http://bit.ly/2HbgenM

O dólar rompeu a barreira dos R$ 4 em agosto. Chegou a R$ 4,072 na cotação da sexta-feira (31), e já acumula alta de 25% no ano. E você se pergunta: e eu com isso? Não compro dólares, não vou viajar ao exterior. Saiba que, apesar de parecer distante da sua vida, a alta do dólar impacta seu dia a dia. Do pãozinho ao combustível, diretamente, e em diversos produtos, indiretamente, você também é atingido com o vaivém do câmbio.

Porque o dólar sobe
O dólar sobe, e desce, influenciado pelo humor do mercado. Os cenários político e econômico, externo ou interno influenciam as decisões do investidor. Se ele avalia que o risco de manter os investimentos no país subiu muito, migra seu dinheiro para países onde sentem mais segurança. Essa última onda de subida no Brasil se deve em parte à disputa eleitoral. A incerteza de quem tem mais chances de governar o país ainda é alta a poucos meses da eleição.

Sobra para o consumidor
Pães e massas já subiram 3%, segundo a Abimapi, entidade que representa o setor de fabricantes de biscoitos, massas e pão industrializado. Mais de 50% da farinha de trigo usada nesses produtos é importada. Outros alimentos que contém trigo na sua composição também tendem a aumentar. Aves e suínos do mesmo jeito, por conta da alta no preço dos grãos para ração.

Alta nas prateleiras
Outros itens nos supermercados, que não levam trigo, também sofrem impacto da alta do dólar. Produtos de beleza e de higiene e limpeza estão na lista. Isso por conta de ingredientes químicos importados para composição da matéria-prima. Eletrônicos seguem na mesma linha. De um modo geral, os produtos importados ficam mais caro quando você faz a conversão.

Continua após Publicidade

Tanque mais pesado
A variação do dólar entra na composição de preços dos combustíveis. Para o consumidor comum, o lado mais visível é o aumento no preço da gasolina na bomba. O diesel também sobe, e como a produção do país anda sobre rodas, o efeito é geral nos produtos. Alta no combustível eleva os custos com logística e distribuição. Coisa que todo mundo aprendeu na última greve dos caminhoneiros.

Viagem mais cara
Quem tem viagem marcada ou planeja embarcar para o exterior sente de imediato a alta no dólar. Passagens aéreas, hospedagens e demais gastos sofrem diretamente o impacto do câmbio. Para quem vai comprar dólar para os gastos durante a viagem, o ideal nesse momento e ir adquirindo aos poucos. Ficar ligado na variação da moeda e se planejar. Quem ainda tem tempo e não quer gastar mais do que o previsto, pode mudar o destino para uma viagem interna. Ou encurtar o tempo de permanência.

Melhor cotação
Se você vai mesmo comprar dólares para viajar ou fazer um pagamento na moeda pesquise. Alguns sites e aplicativos ajudam nessa tarefa. O buscador Melhor Câmbio, também em app, mostra a cotação e quem negocia na sua região. O Banco Central lançou o aplicativo Câmbio Legal, que traz a taxa média da moeda, faz a conversão e indica casas de câmbio legalizadas.

Compra pela internet
Para fazer a compra da moeda via internet há opções como Bee Câmbio, onde você pode acompanhar a cotação e comprar moeda, e a Cambiar, uma fintech que permite compra, transferência de valores e entrega a moeda em casa. Quando for pesquisar, lembre-se de verificar as taxas e tarifas cobradas.

Vale o investimento?
Especialistas no mercado financeiro indicam que é interessante um pouco de dólar nos investimentos. Mas nada de comprar a moeda em espécie, a não ser que tenha um objetivo de usar em curto ou médio prazo, como uma viagem ou um intercâmbio. Você pode comprar ações de empresas exportadoras na Bolsa de Valores ou aplicar em fundos cambiais. Como oscila muito, dólar é um investimento de risco.

Efeito retardado

Para aliviar, em muitos produtos o reajuste não é imediato. Indústria e varejo trabalham com estoques, que podem chegar a 90 dias. Daí, pode demorar mais um pouco a atingir o bolso. Mas há produtos e serviços com impacto mais imediato, como o caso do combustível e os gastos com viagens ao exterior.

Planejamento
A alta do dólar aparentemente exige planejamento somente de quem vai viajar ao exterior. Mas como atinge preços de produtos e serviços, é bom ter em mente, sempre, o planejamento dos gastos. Usar de forma consciente, racionalizar e economizar contribuem para manter suas contas em dia. Veja aqui algumas dicas.

Compartilhar! Facebook LinkedIn Google+ Twitter

Deixe seu comentário O que você achou?

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algum conteúdo impróprio, denuncie.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Continua após Publicidade